O que causa bronquite, sintomas e tratamento

Bronquite é a inflamação do revestimento interno dos brônquios, os canais através dos quais circula o ar para chegar à parte mais profunda do pulmão (região alveolar), que é onde ocorre a troca de oxigênio entre o pulmão e o sangue. Mas o que causa bronquite?

Os sintomas da doença podem variar, dependendo do tipo de bronquite, mas geralmente incluem:

– tosse com catarro (embora o muco muito grosso possa ser difícil de expelir);

– dificuldade para respirar, com sensação de falta de ar;

– sensação de aperto no peito.

O que causa bronquite e os dois tipos da doença

Dependendo da sua duração, a bronquite pode ser classificada em duas categorias que podem ter causas diferentes:

o que causa bronquite– Bronquite aguda

A forma aguda da doença está geralmente associada com infecções.

É muito comum a bronquite aguda por infecção viral, isto é, um vírus infecta as vias aéreas e produz a inflamação dos brônquios.

Por vezes, embora menos frequente, a responsável pela infecção pode ser uma bactéria e, muito raramente, um fungo.

Normalmente, estão envolvidos os vírus do catarro e do resfriado simples.

(Continua logo abaixo…)

Veja Mais Destaques:

 

Por esse motivo, os primeiros sinais da bronquite aguda geralmente são a garganta inflamada, o gotejamento nasal ou a sinusite.

Posteriormente expande-se para os brônquios, produzindo a inflamação dos mesmos e dificultando a passagem do ar para os pulmões.

É neste momento em que aparece a tosse, uma vez que é um mecanismo de defesa das vias aéreas, que se inicia quando é detectado um problema.

Também começam a aparecer a falta de ar e a sensação de aperto no peito.

Pode-se ouvir chiado ao respirar, provocado pela passagem do ar através das vias aéreas estreitadas.

Com a tosse pode aparecer um pouco de mucosidade, mas não é muito frequente.

É importante salientar que algumas substâncias, tais como a fumaça do cigarro, poeira, gases, vapores ou a poluição do ar, podem irritar as vias respiratórias, aumentando o risco de sofrer bronquite aguda e piorando os sintomas de quem já tem a doença.

Uma pessoa pode também presentar bronquite aguda depois de ter sido exposta a elevadas concentrações de pó ou gases, como por exemplo, as resultantes de uma explosão ou um incêndio de grandes proporções.

– Bronquite crônica

Este tipo de bronquite faz parte do grupo de doenças denominadas pulmonares obstrutivas crônicas (DPOC).

Para ser considerada bronquite crônica, o paciente deve ter sofrido tosse durante pelo menos 3 meses por ano, por mais de dois anos.

Muitas vezes esta doença pode ser associada com o tabagismo ativo e, em alguns casos, pode se desenvolver muito depois do paciente ter parado de fumar.

VEJA TAMBÉM:  O que é antioxidante

Nos fumantes passivos também pode ocorrer, embora sejam muito menos propensos do que os fumantes ativos.

A fumaça do cigarro irrita a mucosa dos brônquios, causando inflamação.

Há muitos outros fatores que podem causar bronquite crônica, tais como a constante exposição a alguns produtos cujos vapores possam irritar os brônquios, a contaminação ambiental e a bronquite aguda recorrente.

Também parece existir um componente genético ou familiar que predispõe para o desenvolvimento da doença.

Na bronquite crônica, a irritação constante e frequente dos brônquios, com a sua consequente inflamação, acaba produzindo muco, de aspecto purulento, que assim como a tosse, é um mecanismo de defesa.

O problema é que o muco pode acabar impedindo ainda mais a passagem de ar para os pulmões, resultando em dificuldades respiratórias.

O chiado também pode ser um sintoma.

Pessoas com bronquite crônica têm períodos em que os sintomas pioram bastante e durante estas fases também podem ter bronquite aguda causada por vírus ou bactérias.

Tratamento da bronquite

O médico será o encarregado de decidir se um paciente necessita ou não de terapia e qual será a mais adequada.

No entanto, abaixo listamos os principais tratamentos disponíveis para bronquite:

– Os broncodilatadores inalados

Sua missão é dilatar os brônquios, facilitando a passagem do ar. Não é aconselhável abusar deles, porque podem causar tremor, dores de cabeça e palpitações. Se for necessário usá-los com frequência, um médico deverá ser consultado.

– Os broncodilatadores orais

Geralmente estes remédios são receitados só nos casos mais graves, ou naqueles em que a via inalatória não for suficientemente eficaz. Agem como os inalados, dilatando as vias aéreas, mas de forma mais eficaz, no entanto, alguns deles podem provocar efeitos colaterais.

– Os corticosteroides inalados

Sua função é manter a inflamação brônquica sob controle, por isso é importante usar o inalador todos os dias e da forma correta. É importante enxaguar bem a boca após a inalação. Nos casos em que o paciente sofra um ataque grave que impeça a entrada de ar nos seus pulmões, os corticosteroides podem ser injetados, o que proporcionará um rápido alívio da falta de ar. Também podem ser tomados em forma de pílula, embora o tempo de início do efeito seja muito maior.

Recomendações e dicas para os pacientes de bronquite

– É recomendável que o paciente de bronquite crônica siga uma rotina leve de exercícios. A falta de exercício físico pode levar a uma inatividade incapacitante, de modo que, o menor dos esforços seria muito mais cansativo e sufocante.

– É aconselhável que o paciente evite ambientes com fumaça ou vapores de sustâncias irritantes.

Abandone definitivamente o hábito de fumar. A fumaça do cigarro aumenta as probabilidades de sofrer ataques de falta de ar e ajuda a produzir mais muco, tornando difícil a sua remoção e a passagem do ar.

Um filtro purificador de ar pode ser bastante útil para eliminar substâncias tais como poeira, bactérias, alérgenos e outras que podem ser prejudiciais para as pessoas afetadas pela doença.

É fundamental beber muita água, especialmente na forma de infusões, pois ajudam na atividade mucolítica. Quanto mais água o paciente ingerir, menos denso será o seu muco.

Evite as mudanças bruscas de temperatura, bem como o frio ou o calor extremos.

– Aprenda técnicas de relaxamento e mantenha a calma durante as crises, pois se ficar nervoso(a) você terá mais dificuldades para respirar.

– É muito conveniente usar um umidificador. O aumento da umidade pode ajudar a respirar, especialmente à noite.

Os aerossóis podem ser prejudiciais para a bronquite. É preferível não usar e afastar-se quando alguém estiver usando um.

Esperamos que estas informações sobre o que causa bronquite, seus principais sintomas e os tratamentos recomendados, lhe sejam de bastante utilidade.

Gostou deste artigo? Ajude-nos a divulgá-lo:
Loading...

Deixe aqui a sua pergunta ou comentário:

Informação básica sobre proteção de dados
Responsável pelos dados: Carlos Correia | Finalidade: Gerenciamento e moderação de comentários | Legitimação: Seu consentimento expresso | Destinatários: Os dados que você proporciona ficarão hospedados nos servidores da empresa Banahosting | Direitos: Você tem o direito de acesso, retificação, limitação e supressão dos seus dados. | Veja a informação detalhada sobre a proteção de dados na nossa política de privacidade.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *